Como foi no Hospital das Clínicas

Postado por em 29/11/2017

Fomos na primeira consulta no Hospital das Clínicas em Ribeirão Preto. Uma médica nos atendeu, mas quando se apresentou não sabíamos que se tratava de uma psiquiatra, pois ela só falou o nome. Primeiro ela conversou comigo e meu filho, logo depois pediu que eu saísse e falou só com meu filho e novamente comigo. Ela fez uma anamnese, perguntou tudo sobre o nascimento do meu filho até os dias atuais. O que conversou com meu filho eu não sei, pois segundo ele não era para me contar. Aguardamos  uma hora e poucoera para que os médicos  analisassem do caso. Depois ela chamou e solicitou um hemograma completo do meu filho  e relatório sobre habilidades, comportamentos, relacionamento com os amigos e outras observações que a escola, o professor de informática, o psicólogo e a professora de basquete achasse conveniente citar. Todos farão um relatório e para mim e meu filho foi entregue um questionário sobre o comportamento dele. Antes de sairmos ela disse que a vaga ainda não era dele, porque estava muito cheio o HC e que seria difícil uma vaga. Fiquei triste, achava que a vaga estava garantida, mas na semana que vem levaremos os relatórios e pretendo implorar a ela pela vaga. Pedirei que aplique os testes nele, pois desconfio que tem Déficit de Atenção e são testes caros, não tenho condições de pagá-los. A minha esperança é conseguir ajuda deles no que se refere ao comportamento dele na escola ano que vem.

Sobre a Escola resolvi não levá-lo por alguns dias, pois a escola me liga e não posso sair todo dia para buscá-lo, não posso perder meu trabalho. O comportamento dele em casa melhorou, mas é uma montanha russa: dias bons, dias difíceis. Estou mantendo meu autocontrole e procurando conversar bastante com ele para que perceba que seu comportamento não é legal às vezes. Esta fase de início de adolescência não é fácil, são hormônios, inseguranças. Procuro lembrar dos meus sentimentos nesta época, era tudo confuso, interpretava os acontecimentos de forma diferente do que vejo hoje e sei que o melhor caminho é o diálogo. Preciso perseverar e acreditar que tudo ficará bem...Já trilhamos um longo caminho e é preciso paciência e resiliência...

paisagem