A escola de novo

Postado por em 06/11/2017

Como contei no post anterior meu filho estava fazendo atividades em casa e dois dias da semana eu o levava na escola no período inverso e em uma sala ele fazia alguns conteúdos junto a professora auxiliar. Mas eu precisei avisar a advogada do porque da ausência dele na escola, pois poderia perder o direito a professora auxiliar sendo que a mesma ficava dia todo na escola e meu filho não estava frequentando as aulas. Quando advogada avisou juiz, o mesmo determinou que meu filho voltasse às aulas no período normal sob pena de multa diária da escola. Hoje foi o primeiro dia e foi péssimo o que ocorreu. A professora auxiliar não foi (estava doente, mas não fui avisada) e eu resolvi deixá-lo pelo menos até o intervalo do lanche, mas foi errada a minha decisão. Meu filho ficou nervoso e quando fui chamada cheguei na sala de aula e ele estava no chão sendo contido por um funcionário. Aquela cena e todo estresse diário relacionado a escola foi demais para mim e eu pedi para diretora chamar a professora, pois queria perguntar o que ela fez para tentar ajudar meu filho. Se ela se esforçou um pouco ou se o ignorou como sempre. A diretora não a chamou e eu disse que gostaria que elas lessem sobre o Transtorno, pois estavam contribuindo para afirmar o que ele pensa dele: que é um incapaz e que não consegue nada e gritei que eles deveriam ter um pouco de amor ao próximo. Quando ele fica nervoso a professora imediatamente tira todos da sala e ele fica lá correndo, gritando, jogando as folhas...Eu não sei porque ele faz isso e nem como ajuda-lo mais. Ele só chora e diz que não sabe porque faz isso. Não o levarei mais a escola esse ano e amanhã avisarei advogada que justifique para o juiz a minha decisão. Eu não aguento mais isso e não quero mais ver o que vi hoje. 

No finalzinho da tarde recebo uma ligação da Secretaria da Saúde que meu filho conseguiu uma vaga no HC (Hospital das Clínicas) de Ribeirão Preto para tratamento. Eu queria muito esta vaga, pois eles possuem uma equipe multidisciplinar que aplicará testes e direcionarão melhor a medicação. Chorei muito quando recebi a notícia, pois estava desesperada, sem saber a quem recorrer para ajudar meu filho. Terei que conciliar o trabalho com as viagens até outra cidade, mas espero que meu Gestor entenda a importância deste tratamento para nós. 

paisagem