Nos tornamos um problema

Postado por em 02/08/2017

Desde quando eu e meu filho nos tornamos um problema para pessoas envolvidas no ambiente escolar? Acredito que há 6 anos quando teve início as crises de nervoso do meu filho. Do ano de 2011 para cá é assim, o importante é se ver livre de um menino sem controle e de sua mãe que explica, pede ajuda, implora para ser ouvida. Eu me sinto na mão de todos, desde a moça que vem para minha casa sem vontade alguma para cuidar do meu filho, até a diretora que não olha na minha cara na volta às aulas. Porque é tão difícil se aproximar? Porque todos escolhem o caminho mais fácil, o afastamento? Talvez porque assim fica fácil colocar a cabeça no travesseiro e fingir que nada ocorreu e dormir como um "anjo". Recordo tudo que passamos e me pergunto: quem passou pela nossa vida e fez algo efetivo para nos ajudar? Quem tentou de verdade nos ajudar? Qual escola disse sim, vamos fazer de tudo para inseri-lo em nosso ambiente escolar? Eu tenho vontade de gritar, de dizer que estou cansada deste papo de que é difícil a inclusão, de que o governo não oferece cursos, blá, blá, blá...E eu estava preparada para ter um filho especial? Meu filho trouxe manual para me ensinar a lidar com ele? Eu estou tentando ajudá-lo, eu não desisti, estou buscando uma solução, mas eu preciso ser ouvida por alguém, eu não posso sozinha. Meu filho não consegue ficar dentro de uma sala de aula, não aceita está forma de aprender  e tudo, tudo que vocês pensarem eu já tentei... Sei que os moralistas de plantão dirão: se ela batesse nele, ele seria outro menino, ou ela não aplica "castigos" suficientes, ela o deixa mandar em casa, etc, mas não é nada disso. Ninguém nunca perguntou sobre os nossos sentimentos, ninguém nunca perguntou ao meu filho porque ele faz isso e como ele se sente ao fazer isso. As pessoas não se aproximam, é como se tivéssemos uma doença contagiosa. Mas devo dizer a todos que continuarei a incomodar sim, até onde eu puder eu buscarei no meio da multidão pessoas que me enxerguem e que me estendam a mão. Eu quero respeito a minha história e a do meu filho. Eu não busco privilégios para meu filho, eu busco compreensão e auxílio. Eu não quero saber como tudo funcionava até agora, porque toda vez que faço uma sugestão a escola, lá vem a velha ladainha: “nunca fizemos isso neste escola” e que se dane isso, talvez seja hora de mudar, de inovar, de caminhar por um estrada não tão certinha como é a estabilidade de um concurso. Ninguém nunca bateu na minha porta e perguntou: como é sua vida? Como você se sente em relação ao seu filho? Como lida com seus sentimentos quando pisa em uma escola e vê seu filho fora de controle? Eu só quero paz, momentos felizes ao lado do meu filho, da minha família e dos poucos amigos que restaram. 

 

problema

substantivo masculino

1.

assunto controverso, que pode ser objeto de pesquisas científicas ou discussões acadêmicas.

"o p. do descobrimento do Brasil"

2.

questão social que traz transtornos e que exige grande esforço e determinação para ser solucionado.

 

"o p. da seca no Nordeste brasileiro"

 

 

paisagem