Os transtornos e a psiquiatria.

Nome completo: Milena Mazetti Spolon Especialização: Psiquiatra da Infância e Adolescência Informações adicionais (atividades exercidas): Atendimento em consultório particular. Preceptora da Residência Médica em Psiquiatria na Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto. Psiquiatra do Caps Infantil Duas Vendas do Munícipio de São José do Rio Preto. Contato: Dr. Antônio Bahia Monteiro, 465 Sala 321. B: Mansour Daud. São José do Rio Preto-SP  TEL:(17) 33080585. E-mail: milena.mazetti@terra.com.br

marcador 1. Quais problemas relacionados à criança o psiquiatra pode auxiliar? 

O Psiquiatra da infância e da adolescência é um profissional que passa por vários estágios para exercer sua função. Primeiramente estuda medicina, depois obrigatoriamente passa pela residência médica de 3 anos em Psiquiatria Geral e só depois se especializa em Criança e Adolescente. Com uma visão ampla das doenças psiquiátricas ele tem capacidade analisar e conduzir casos de forma a avaliar as necessidades de um ser que, ao contrário do adulto, encontra-se em desenvolvimento e requer atenção especial quanto as mudanças dos sintomas que irão ocorrer com o passar do tempo. Várias são as doenças que mais acometem os indivíduos nesta faixa etária. Transtorno do   Espectro  Autista, Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) , Transtorno Desafiador Opositivo, Transtorno Ansioso (fobia escolar, ansiedade de separação, ansiedade generalizada e transtorno obsessivo –compulsivo),depressão, transtorno bipolar e transtorno de aprendizagem.  

marcador 2. Muitos pais tem dificuldade em aceitar que o filho precisa de medicação, até onde a medicação pode ser decisiva em um tratamento?

A medicação faz-se necessária nos casos moderados e graves, nos quais as intervenções multidisciplinares (psicologia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e psicopedagogia) isoladas não são capazes de estabelecer o equilíbrio psíquico do paciente.  

marcador 3.Você trabalha com diagnóstico “fechado” quando se trata de criança ou não? Por quê?

O diagnóstico é de extrema importância para direcionar o tratamento, mas deve ser feito com cautela e observação clínica criteriosa, levando em consideração a fase do desenvolvimento emocional da criança e adolescente, o contexto sociocultural e composição familiar que está inserido. 

marcador 4. Toda criança diagnosticada com Transtorno Desafiador Opositivo precisa de medicação? Por quê?

Toda criança com Transtorno Desafiador Opositivo necessita de tratamento multidisciplinar, incluindo os ambientes sociais que esta criança participa como família, escola e atividades esportivas. Nos casos com sintomas como agressividade, impulsividade, agitação ou outras comorbidades (TDAH, DEPRESSÃO, ANSIEDADE) a medicação deve ser considerada.

marcador 5. Existem períodos do tratamento em que a medicação tem que ter uma dose maior?

As doses medicamentosas sempre respeitam a padronização mundial , para idade e peso da criança, mas podem ser aumentadas, respeitando estes limites, quando existe agravamento do quadro.  

marcador 6. Qual a importância de um tratamento multidisciplinar para uma criança com TDO?

O tratamento multidisciplinar com abordagens psicoterápicas individuais e familiares e orientações escolares são de extrema importância para sucesso do tratamento em portadores de TDO, levando, deste modo, a uma resposta terapêutica mais efetiva evitando agravamento do quadro na adolescência e idade adulta.      

marcador 7. Em sua opinião ainda existe preconceito em relação à especialidade psiquiatria? Por quê?

Sim, pelo desconhecimento por parte da população que os sofrimentos e doenças psíquicas pode acometer a qualquer individuo independente da idade, do nível sócio- econômico, escolaridade, estrutura familiar e gravidade.          
paisagem