Personalidade Borderline

O transtorno da personalidade borderline caracteriza-se pela instabilidade nas relações interpessoais, na autoimagem e na afetividade. As pessoas que sofrem este transtorno apresentam uma grande impulsividade, que pode ser potencialmente perigosa tanto para elas como para as pessoas que as rodeiam. Como todos os transtornos de personalidade, começa na idade adulta e desenvolve-se em diversos contextos socioculturais. Este transtorno é até 5 vezes mais frequente em familiares de pessoas que o sofrem do que no resto da população global. A seguir te apresentaremos como identificar o transtorno da personalidade borderline.

Instruções


1. Medo de abandono. Este medo pode ser real ou imaginário e apresenta-se com tal força que as pessoas que sofrem de transtorno da personalidade borderline podem responder a ele com ira. Uma separação temporária é considerada e sentida por elas como um abandono. São muito sensíveis ao meio e consideram que ser abandonadas equivale a ser más. Este medo do abandono tem a ver com a dificuldade de ficar sozinhas.


2. Relações interpessoais. Devido a este medo de ficar sozinhas, suas relações são caracterizadas por ser intensas e instáveis. Passam de gostar de alguém e idealizá-lo a odiá-lo e desmoralizá-lo. São sensíveis às opiniões e atitudes das demais pessoas, mas quando sentem que os outros as decepcionaram rapidamente se colocam na defensiva.


3. Autoimagem. A instabilidade que sentem em relação à autoimagem é tão forte que mudam constantemente de forma de pensar, de valores, de aspirações. Em alguns casos, surgem mudanças na identidade sexual, no tipo de amizades, de projetos de futuro, etc.

 


4. Impulsividade. Isto se reflete em condutas como apostas, abuso de substâncias, despesa com dinheiro de forma irresponsável, entre outros. Quem sofre deste transtorno também costuma ter condutas suicidas, o que compreende tentativas de autoeliminação e ameaças de suicídio. Estes comportamentos são consequência do medo de ser abandonados ou do temor de assumir responsabilidades maiores.


5. Estado de ânimo disfórico. São escassas as situações nas quais o estado de ânimo é ótimo. Costumam ter períodos de ira, angústia, ansiedade, sobretudo como reação a determinadas situações interpessoais que são vividas como estressantes. São pessoas que se cansam da rotina com facilidade.


6. Ira. Apresentam dificuldade no controle da ira. Frente a situações que consideram sinônimo de abandono ou rejeição, respondem com uma reação inapropriada de ira. Depois destes episódios de ira, costumam sentir culpa por sua conduta e alimentam e estimulam sua percepção de que são más.


7. História familiar. Nos antecedentes familiares das pessoas que sofrem de transtorno de personalidade borderline, é comum encontrar registros de maus-tratos físicos e sexuais, de falta de cuidado na infância, de perda prematura de algum dos cuidadores ou separação parental.


Fonte: http://saude.umcomo.com.br/articulo/como-identificar-o-transtorno-da-personalidade-borderline-3894.html

paisagem