A Terapia Ocupacional e o TDO

Nome: Amanda Maria Carnelossi Ferraz  Terapeuta ocupacional especialista em Neurologia e Análise de Grupo.  Trabalha na APAE e coordena um programa de estimulação precoce. Atendimento clínico no meu CEEER - Centro Especializado Educacional de Estimulação e Reabilitação.    

marcador 1. O que é Terapia Ocupacional?

É uma profissão da área de saúde que tem como objetivo de estudo, a atividade humana, permitindo  a indivíduos ou grupos que necessitam de cuidados físicos, sensoriais, perceptivos, emocionais e ou sociais, condições de retorno á participação na vida de forma tão independente quanto possível. O terapeuta ocupacional avalia as dificuldades apresentadas, realiza análise  das atividades oferecidas, desenvolve e acompanha programas terapêuticos, também é responsável pela prescrição e adaptações de cadeira de rodas, prescrição e confecção de órteses e adaptações funcionais no ambiente, mobiliário, atividade e utensílios relacionam métodos e técnicas apropriadas, a fim de alcançar os objetivos propostos para o tratamento.  O terapeuta ocupacional atende: recém-nascido, crianças, adolescentes, adultos e idosos. Áreas de atuação: Neurologia (paralisia cerebral, AVC, Parkinson, Alzheimer, síndromes, alterações no desenvolvimento, atraso no desenvolvimento neuropsicomotor), lesão medular, dificuldades de aprendizagem e coordenação motora; saúde mental (transtornos psiquiátricos, transtorno global do desenvolvimento, memória, transtornos relacionados ao uso de álcool e outras drogas, TDAH, TDO); ortopedia  (LER/DORT, queimaduras, pós-cirúrgicos, fraturas); acessibilidade (adaptações de atividades, ambiente e mobiliário); deficiências intelectuais e múltiplas; saúde do idoso.

marcador 2. Qual a importância da equipe interdisciplinar no tratamento?

Não podemos mais negar a importância da interdisciplinaridade nos dias de hoje nos consultórios, nas escolas. Cada vez mais nós temos que trabalhar em conjunto: profissionais, professores e família traçando objetivos comuns para uma mesma causa, não conseguimos trabalhar isolados. Por isso, torna-se necessário trabalhar em equipe com médicos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, psicólogos, psicopedagogos, dentre outros sempre que houver necessidade para o desenvolvimento do bem comum.

marcador 3. O que pode ser desenvolvido pelo TO junto à criança com TDO?

A terapia ocupacional é um processo de tratamento no qual o terapeuta utiliza a atividade como recurso técnico e está habilitado para prescrever atividades e aplicá-las na busca de saúde, uma vez que a atividade é seu objeto de estudo e análise. Desta forma, o terapeuta ocupacional propõe uma atuação ampla, oferecendo recursos para uma intervenção física, psíquica, social e sensorial que podem ser: lúdicas, corporais, artísticas, criação de objetos e conhecimentos, organização dos espaços, o cuidado com o cotidiano, os cuidados pessoais, os passeios, as viagens, as festas, as diversas formas produtivas, a vida cultural, entre outras. 

marcador 4. Fale sobre a equoterapia como recurso terapêutico.

Equoterapia é um método terapêutico e educacional, que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem multidisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com necessidades especiais. Programas de equoterapia: Confiança e objetividade É sabido que cada indivíduo, com necessidades especiais, tem o seu “perfil”, o que o torna único. Isto evidencia a necessidade de formular programas individualizados, que levem em consideração as demandas daquele indivíduo, naquela determinada fase de seu processo evolutivo. A equoterapia é aplicada por intermédio de programas individualizados organizados de acordo com as necessidades e potencialidades do praticante; a finalidade do programa; os objetivos a serem alcançados, com duas ênfases: a primeira, com intenções especificamente terapêuticas, utilizando técnicas que visem, principalmente, à reabilitação física e/ou mental; a segunda, com fins educacionais e/ou sociais, com a aplicação de técnicas pedagógicas aliadas às terapêuticas, visando à integração ou reintegração sócio-familiar. Fonte: ANDE-Brasil 2009  
paisagem